Quarta-feira, 18 de Novembro de 2009

Momentos

Caminha desorientado como se não soubesse onde se encontra. Na sua mente desfilam imagens repetidas do seu último encontro com a mulher da sua vida.

Saber que nunca mais sentiria debaixo da sua pele aquela pele sedosa, húmida dos prazeres partilhados fazia-o sentir-se perdido, sem rumo, sem amarras.

Encostou-se perdido á esquina sombria da casa onde juntos viveram momentos indiscritiveis. Que fazer, onde ir, como adormecer e amanhã abrir os olhos e ter que se erguer.

A dor lancinante sentida trespassa-o como uma lança. O grito preso na garganta não consegue soltar, estica os braços pedindo ajuda silenciosa. Ninguém o escuta, ninguém o vê nem sente a sua dor, o seu grito de solidão. Porquê esta angústia, esta desorientação, este bosque sem saída?

 

  

publicado por paranoias às 22:43
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Devaneios

. Recordar África

. Pureza

. ...

. Momentos

. África

. ...

. ...

. Voz

. Vozes

.arquivos

. Janeiro 2011

. Abril 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

blogs SAPO

.subscrever feeds